Adiado o prazo de registro de recebíveis de cartão

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

O Conselho Monetário Nacional (CMN) e o Banco Central (BCB) adiaram, mais uma vez,  o prazo para entrada em vigência da regulação sobre o registro e negociação de recebíveis de arranjos de pagamentos (Recebíveis de Cartão).

O prazo que teria início em 17/2 foi adiado para 7/6, e o principal objetivo é permitir que as registradoras e outras entidades credenciadoras e Instituições financeiras ajustem suas plataformas.

Tal adiamento nos traz alguns questionamentos: Será que o registro da CPR passará por um adiamento semelhante? Lembrando que atualmente é necessário o registro da Cédula em registradora somente para títulos com valor superior a 1 milhão de reais e que a partir de 1/7 passará a ser exigido o registro para CPRs com valor superior a 250 mil reais.

Outro questionamento que fica é: Será que vão adiar o prazo para disponibilização do sistema de consulta das CPRs registradas? O sistema de informações relativas às CPRs registradas, estará disponível para consultas online a partir de 1/7, de acordo com a Resolução 52 do BCB.

Enfim, muito mais dúvidas do que certezas sobre o assunto, mas até o momento ainda não temos notícias sobre a ferramenta de consulta ou até mesmo sobre a interoperabilidade.

Ficamos no aguardo para ver os próximos passos.

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR ESSAS PUBLICAÇÕES

Projetos sociais

Projetos sociais nas empresas: impactos e alternativas de regulamentação

Muitas empresas exercem ou querem exercer ações sociais de cunho filantrópico, utilizando dos seus próprios serviços e produtos para irem além dos aspectos econômicos, com projetos que beneficiam o meio ambiente, agricultores e trabalhadores rurais e que impactam diretamente comunidades e instituições que necessitam de amparo.
Contudo, apesar das práticas sociais estarem ligadas aos valores de determinadas empresas, a sua estruturação requer bastante cautela e apoio jurídico para que não haja impactos trabalhistas, empresariais e tributários que possam, muitas vezes, desacelerar ou até mesmo impossibilitar esse compromisso com a sociedade.

Leia mais
Marco Legal

Câmara aprova MP que cria marco legal da securitização

Foi aprovada pela Câmara dos Deputados no dia 15 de junho de 2022, a medida provisória editada em março pelo governo federal que cria, atualiza e define regras para securitização dos direitos creditórios (conversão de créditos a receber em títulos a serem comercializados) e, também, cria a Letra de Risco de Seguro.

Leia mais