MAPA disponibiliza aos estados plataforma para análise dos dados do CAR

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou no dia 13 de maio (quinta-feira) uma ferramenta chamada de Análise Dinamizada do Cadastro Ambiental Rural (AnalisaCAR), que tem como intuito a organização e otimização na verificação de dados declarados no Cadastro Ambiental Rural. A ferramenta utilizará dados de sensoriamento remoto para análise automatizada das informações ambientais declaradas. 

Todos os cadastros submetidos de forma automatizada poderão dispensar a análise manual, caso o produtor concorde com os resultados apresentados, não excluindo a prerrogativa do Estado de realizar vistorias nos imóveis rurais caso considere necessário. 

Já nos casos em que o produtor rural não concorde com os resultados da análise dinamizada, este poderá solicitar a análise manual ao respectivo Estado responsável. 

O MAPA aponta como principais benefícios em utilizar a análise automatizada: a minimização da subjetividade dos processos de análise do CAR e a padronização dos critérios; celeridade e maior eficiência no processo de análise; economia de recursos públicos; ambiente simplificado para casos em que há necessidade de retificação das informações declaradas por parte do produtor rural e acesso direto aos benefícios do PRA e/ou CRA.

Esse processo passará por duas etapas. A primeira será a revisão de dados declarados, momento em que o Ministério da Agricultura acredita ser essencial àqueles produtores que realizaram suas declarações de forma equivocada, os quais poderão redeclarar as informações. E com base na revisão de dados, surge a segunda etapa, que é a de Análise de Regularidade Ambiental de forma automatizada.

É importante destacar que a ferramenta se encontra ajustada de acordo com o Código Florestal e contará também com ajustes correspondentes às Leis Estaduais. 

De acordo com João Adrien, Diretor de Regularização Ambiental do Serviço Florestal Brasileiro, a estimativa é de que pelo menos dez estados iniciem a utilização do AnalisaCAR ainda este ano, e que no prazo de dois anos todos os estados estejam utilizando a ferramenta.

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR ESSAS PUBLICAÇÕES

Depressão

Depressão não é reconhecida como doença de origem ocupacional pelo TST

O Tribunal Superior do Trabalho reverteu decisão que havia considerado a responsabilidade objetiva de uma companhia aérea e reconhecida como doença de ordem ocupacional, o quadro depressivo desenvolvido pela trabalhadora enquanto exercia o cargo de comissária de bordo. A decisão se sustentou nas provas contidas nos autos, uma vez que o laudo pericial específico não identificou o nexo de causalidade entre a doença alegada e as atividades desempenhadas, muito menos a incapacidade laboral da trabalhadora.

Leia mais
Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal estabelece a taxa SELIC como a correta para atualizar os débitos trabalhistas

O Supremo Tribunal Federal acabou com a celeuma que permeava o tema relativo ao regular e válido indíce de correção monetário a ser utilizado para a atualização e correção dos débitos trabalhistas. Com a decisão, o STF, enfim, estabeleceu que o referido indice a ser utilizado na seara trabalhista é a taxa SELIC, reputando inconstitucional e inválida a utilização da TR e do IPCA-E.

Leia mais