Da a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais (PNPSA)

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Em 17/12/20 foi aprovado no Senado o PL 5028/19 que institui a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais (PNPSA).

Objetiva-se incentivar a preservação do meio ambiente e trazer um equilíbrio entre a produção agropecuária e sustentabilidade.

Para participar, o agricultor deverá assinar um contrato, enquadrar-se em uma das ações definidas para o programa, comprovar uso ou ocupação regular do imóvel e inscrever-se no Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Prioritariamente o auxílio servirá aos mais vulneráveis como indígenas, quilombolas e agricultores familiares, sendo que poderá vir através de pagamento monetário; prestação de melhorias sociais a comunidades rurais e urbanas; compensação vinculada a certificado de redução de emissões por desmatamento e degradação; comodato; títulos verdes (green bonds) e Cota de Reserva Ambiental.

Para o financiamento do programa a União poderá captar recursos de pessoas físicas, empresas e de agências de cooperação internacional, preferencialmente através de doações.

O PL segue para sanção presidencial, podendo sofrer alterações no texto.

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR ESSAS PUBLICAÇÕES

Depressão

Depressão não é reconhecida como doença de origem ocupacional pelo TST

O Tribunal Superior do Trabalho reverteu decisão que havia considerado a responsabilidade objetiva de uma companhia aérea e reconhecida como doença de ordem ocupacional, o quadro depressivo desenvolvido pela trabalhadora enquanto exercia o cargo de comissária de bordo. A decisão se sustentou nas provas contidas nos autos, uma vez que o laudo pericial específico não identificou o nexo de causalidade entre a doença alegada e as atividades desempenhadas, muito menos a incapacidade laboral da trabalhadora.

Leia mais
Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal estabelece a taxa SELIC como a correta para atualizar os débitos trabalhistas

O Supremo Tribunal Federal acabou com a celeuma que permeava o tema relativo ao regular e válido indíce de correção monetário a ser utilizado para a atualização e correção dos débitos trabalhistas. Com a decisão, o STF, enfim, estabeleceu que o referido indice a ser utilizado na seara trabalhista é a taxa SELIC, reputando inconstitucional e inválida a utilização da TR e do IPCA-E.

Leia mais